CINEMA | RESENHA | Perdido em Marte (The Martian)

6,5 / 10

d96030352930124c4017f8d965c04d3982164505.jpg__0x1500_q85
SINOPSE : Durante uma missão tripulada a Marte, Astronauta Mark Watney é dado como morto após uma tempestade feroz e deixado para trás por sua tripulação. Mas Watney sobreviveu e encontra-se encalhado e sozinho no planeta hostil. Com apenas suprimentos escassos, ele deve contar com a sua criatividade, engenho e espírito de subsistir e encontrar uma maneira de sinalizar para a Terra que ele está vivo.
.
.
EQUIPE TÉCNICA : Dirigido por Ridley Scott (Blade Runner, Alien e Êxodo).
Roteiro de Drew Goddard (Guerra Mundial Z, O Segredo da Cabana e Cloverfield) baseado no livro homônimo de Andy Weir
Música por Harry Gregson-Williams (Shrek e Cronicas de Narnia)
Direção de Fotografia de Dariusz Wolski (Piratas do Caribe, Prometheus, Alice)
1E2FE3AD
CRÍTICA: O diretor renomado Ridley Scott, que surgiu para o mundo cinematográfico com o foco em ficção científica, como em 1979 com o Alien e logo depois em 1982 com o Blade Runner, passou a ficar acostumado a fazer épicos como Gladiador (2000), Cruzada (2005) e Robin Hood (2010) etc.
Com essas assinaturas fui assistir PERDIDO EM MARTE, com uma certa expectativa de épico ou ficção (ou até um junção desses estilos como foi [muito criticado] o PROMETHEUS), mas não, fui surpreendido.
O filme tem uma certa leveza, poucos momentos são tensos, pensei nisso durante o filme e logo me respondi que “mas, se tiver muitos momentos tensos ele irá morrer e acaba o filme. Não tem espaço para altos e baixos na trama”, ta aí o ponto positivo para o roteirista, que adaptou muito bem a obra do livro, deixando os poucos altos e baixos do nosso Marciano engatilhados nos pontos certos de cada ato (além dos altos e baixos vindos da terra e do espaço). Outro ponto positivo é a fotografia, okay que esses tipos de filmes (inter espaciais) são facilmente impressionáveis, mas tomadas ficaram muito bem feitas, principalmente no terceiro ato, tratarei disso brevemente no fim do texto.
screen shot 2015-09-15 at 2.26.16 pm
Falando em atos, o filme é longo e tem 2h21m, mas não fiquei aborrecido nem senti muito TODO esse tempo passar, méritos a direção e aos cortes, que intercalavam muito bem entre a Terra, o Espaço e Marte, o tempo de respiro e a tenção foram muito bem distribuídos. Sendo assim, o tom de grande parte do filme é ligeiramente leve, apesar da situação grave. Diria que o filme é bastante otimista, isso que me surpreendeu na escolha do Ridley Scott, além de não ter cenas muito épicas e nem de apreensão como nos filmes dele… MINTO, ele faz uma cena muito bonita, quando ficam embaraçados pela corta (não vou contar mais para não dar spoiler), mas a cena é bem linda, digna de emoldurar e colocar na sala dele.
The-Martian-2015
Matt Damon muito bom, assim como todo o elenco. Jessica Chastain, Michael Peña, Kristen Wiig, Jeff Daniels, Donald Glover, Sean Bean e Naomi Scott.
Para concluir. Gostei do filme, achei bem escrito, temas difíceis (ciência nível NASA) muito bem explicados, de um modo não muito didático (como se fôssemos retardados) e nem muito “jogado” (como se soubéssemos sobre o assunto). Não tem também muita explicação (enrolado) dos personagens durante o filme todo, não perdem tempo com isso (ótimo). É um triunfo da ciência e da NASA, não tão trágico e emocionante como APOLLO 13 nem é um blockbuster comum que nem Jurassic World, mas cumpre seu papel.
the-martian
ps, eu mudaria os últimos 4..5 minutos.. colocaria tudo em VOICE OVER e faria uma montagem rápida (flashs) com cada um. vocês irão entender.

nota – 70%

Anúncios

CINEMA | RESENHA | MAD MAX : ESTRADA DA FÚRIA

8 / 10

MAD MAX, UMA ODE À PRODUÇÃO!

Se eu te contasse o que Mad Max passou para ser feito, você não confiaria. O quanto tempo levou,  você não imaginaria. O quanto dinheiro gastou, voce não acreditaria.

Muito antes da incrível Charlize  Theron dominar seu caminhão e cruzar o deserto pós apocalíptico como a Furiosa com o indestrutível Max Rockatansky (Tom Hardy), o filme teve uma longa jornada até brilhar e encher nossos olhos no Cinema.

mad_max_fury_road_wallpaper_1920x1080_by_sachso74-d8r49ti
A mais de 10 anos atrás, em 2003 para ser mais exato, George Miller (Diretor da trilogia clássica Mad Max), estava já recrutando o elenco e começando a pensar george-miller-happy-feet-790x552na pré-produção do 4º filme da série, já intitulado como FURY ROAD (Estrada da Fúria). Já havia a ideia para roda-lo e 2001, mas os ataques às torres gêmeas atrasou. O problema em 2003 porém foi por conta da parte financeira (gravariam na Austrália e o dólar desvalorizou por conta da guerra no Iraque), o que fez escolher gravar a animação Happy Feet (oi? sim! ele dirigiu HAPPY FEET, dos pinguins).
Alguns anos depois, e com dinheiro e cronograma para isso, George Miller conseguiu finalmente ir para o deserto australiano, porém houve mais um revés para a gravação. CHUVA, sim, onde outrora era um deserto morto, vermelho e inóspito em Outback, no centro da Austrália, virou (depois de chuvas torrenciais) um gramado FURY ROADverde, adiando as gravação para o ano de 2011. Em 2011 o elenco principal já estava escolhido, os carros prontos, todo o design, porém as gravações só começariam em 2012 (enquanto isso o Happy Feet 2 estava estreando), em outro país, outro continente, Namíbia, na África.
Com todo esses problemas, a Warner estava preocupada com a produção do filme, por conta do filme ter chegado aos US$150 milhões de dólares em seu orçamento. Finalmente no fim de 2012 terminaram as gravações do filme. ufa!
DOIS ANOS E MEIO DEPOIS DE PÓS PRODUÇÃO
Fui ao cinema e assisti ao filme, no IMAX, maior tela possível, para ser justo com o G. Miller, e imergir no filme.
Lá (no cinema), vi um filme que começou com uma cena de perseguição

Sobre as  polêmicas do  filme, feminismo e tudo mais.

  Brevemente sobre a  história,  direção,  produção  locação, roteiro e  atuação.

Finalizando como o filme mais  completo de 2015 até então.

COLUNA | BRASIL, DEITADO ETERNAMENTE EM BERÇO ESPLÊNDIDO (7X1)

DEITADO ETERNAMENTE EM BERÇO ESPLÊNDIDO AO SOM DO MAR E À LUZ DO CÉU PROFUNDO

Mineirão

Talvez o maior pecado do Brasil e do brasileiro esteja em seu próprio hino, estamos sempre acomodados com a posição em que estamos, pois é mais cômodo. Isso nos proporciona ajulio_cesar_667 protelação/procrastinação de tudo, consequentemente o atraso em relação àqueles que sempre querem progredir, não importando o quão isso afeta a opinião de terceiros e o próprio desconforto.

Esse assunto daria para expandir para qualquer parte da sociedade brasileira, mas se atentarmos o olhar ao ocorrido no Mineirão, sem o som do mar mas sob a luz de um céu profundo, os 7 a 1 para a Alemanha contra o Brasil, naquele fatídico 8 de julho de 2014, foi a melhor explicação de que somos (em grande massa) um povo que protela a mudança por estar acomodado em um berço esplêndido.

A seleção brasileira de futebol, gozou décadas e mais décadas de triunfos. Mas diferente de um Japão, pelc2aeEUA, Rússia, o X da nossa questão foi o jogador habilidoso e o improviso (surpresa), nunca foi muito bem o comprometimento tático. Com o passar dos anos, fomos nos acostumando com essa grife vitoriosa, até demais. Se somarmos a ganância dos dirigentes e dos agentes, que negociam qualquer jogador a qualquer custo só para dar um lucro, com a indisciplina do jogador (mimado) brasileiro, técnicos que se recusam se reciclar por conta da ‘política de resultados de curto prazo’, onde o clube é refém da torcida que é cega e fanática.

Ou seja, é um ciclo ‘desvirtuoso’ que nos empurrou ladeira abaixo até esse 7 a 1.

O que foi feito para amenizar a situação?

Se o teu futuro espelha essa grandeza (por conta do passado), não se deite eternamente em berço esplêndido, se erga à justiça a clava forte, não fuja à luta e nem tema.

03349f6ef982946e7ff4952a7449a1ef455615ea

RESENHA | SERIADO | DEMOLIDOR

daredevil-parquor-2-netflixConfesso que a primeira cena do seriado original da Netflix com a Marvel, O Demolidor (DareDevil), me fez lembrar bastante do filme Batman, O Cavaleiro Das Trevas (DC e WARNER). A mesma cena de apavorar os inimigos em um porto cheio de contêineres, aparecendo de surpresa e derrotando-os. O que não é um desmerecimento e sim um elogio.  Uma pena que para mim o primeiro episódio, ao se desenrolar, se mostra ligeiramente fraco, ou não me pegou e me fez querer mais e mais, tanto que após o primeiro episódio eu não voltei para o segundo de cara, demorei uns bons meses para retornar.

daredevil_gif02

Quando retornei (me forçando) me deparei com uma série que melhorava a cada episódio, as cenas são incrivelmente bem coreografada e muito realistas, principalmente por conta das repetidas pausas de cansaço dos lutadores. Destaque para quando Matt invade a casa dos Russos para resgatar um jovem. A direção (principalmente dessa cena) achei incrível, pois a câmera caminhava no meio da luta de um lado para o outro de um corredor estreito, as vezes a luta ia para uma outra sala, mas a câmera continuava seu trajeto, ‘esperando’ que a luta voltasse para o palco principal.

Mas me apressei, comecei a falar do seriado antes de explicar quem é esse tal de DEMOLIDOR. Bom, se ele é da MARVEL logo se imagina que seja um herói. O que torna ele SUPER herói é sua habilidade (muito maior que a maioria dos humanos) de sentir as coisas.

what-did-you-think-of-daredevil-on-netflix-365040

Matthew Murdock era um jovem estudioso e vivia com seu pai em HELLS KITCHEN, que era boxeador e exigia que “Matt” estudasse para não ter o mesmo destino que o pai. Um dia o jovem Matt ficou cedo devido a um acidente com um caminhão carregado de produtos tóxicos, isso fez com que todos os seus outros sentidos fossem aguçados. Escutava conversas em quarteirões de distância, escutava as batidas do coração da pessoa, conseguia saber exatamente a combinação ‘química’ do sorvete, e por aí vai. Ele aprendeu e desenvolveu isso com seu mestre (também cego) ‘stick’, que ensinou a lutar. Daredevil-110

Matt, sempre obstinado pela justiça, fez o curso de direito e lá conheceu Franklin “foggy” Nelson, que se tornou seu melhor amigo e futuro sócio na firma de advocacia que sempre sonharam em ter. Sabendo que a justiça das leis nem sempre se torna a justiça de verdade, Matt vai atrás de crimes não resolvidos para tentar melhorar sua cidade.

A história do seriado da Netflix começa a partir do primeiro caso especial da firma de Matt e Foggy, (não irei entregar muita coisa, VÁ ASSISTIR) que aparece em decorrência da destruição de Nova Iorque (oriunda do filme Os Vingadores, sim tem ligação dos filmes da Marvel com os seriados), e a especulação imobiliária e de construtoras. Além da obvia disputa por poder territorial. É aí que entra o grande vilão dessa história, Wilson Fisk (o Rei do Crime), além dele há muitas outas facções criminosas na cidade e Matt faz de tudo para acabar com isso, nem que seja passando por cima de seus próprios valores cristãos.

Daredevil_S01E13_Daredevil_Jump-850x560

nota expectativa 8

nota real 8

RESENHA | CINEMA | Divertira Mente

por otávio augusto

PIXAR acertando como sempre (quando não nos referimos as sequências).

1808

Pode ser empolgação pós cinema, mas DIVERTIDA MENTE é um dos (se não for O) melhores filmes da PIXAR, no que se refere a um filme completo, não apenas piadas. Só o roteiro já dá um banho em muito Drama live-action, a questão visual então, ótima solução para atrair e entreter a criançada, já que o tema do filme é um pouco complicado (e por que não pesado) para crianças entenderem. A Depressão.

image_33490d7c

O filme conta a história de uma menina e sua mente, como se houvesse uma sala de controle principal, onde 5 sentimentos (Felicidade, Tristeza, Raiva, Medo e ‘Nojinho’) atuassem para lidar com as ações do dia a dia e discernir e distinguir momentos da vida. O ‘Incidente Motivador’ do filme é a mudança do status-quo da vida da personagem, que se muda de sua cidade natal, onde tinha amigos, lembranças boas, estabilidade e segurança emocional e vai para o desconhecido, o desconforto.

inside_out_trailer

O tema depressão não é explícito no filme (talvez para não “assustar” os pais, afugentado-os do cinema), mas fica claro para quem quiser quando a alegria e a tristeza enfrentam um contratempo e chega uma hora que ela manifesta age através da raiva e do medo, até chegar na apatia completa, restando a alegria entender que a tristeza (e os outros sentimentos) é importante que existe uma coexistência saudável entre os sentimentos.

Inside-Out-3

o filme tem muito mais, um universo vastíssimo para ser explorado, me deu muita vontade de assistir mais filmes com a mente das pessoas em diferentes situações e momentos da vida de outras pessoas (além de lugares dentro da mente [por que não do subconsciente, entre outros] para explorar). Não vou estragas as piadas da mentem, mas são geniais. Não é um filme para chorar de rir, nem chorar de tristeza, é um filme bem equilibrado emocional’mente’, lindo visual’mente’ e principal’mente’  para você entender a mente, seja a sua própria, ou a de quem você lida ou lidou pela vida.

VALEU PIXAR…. de novo!!

pixar

EXPECTATIVA : 7/10

REALIDADE : 9/10

Cinema – Gone Girl (expectativa)

Nova sessão do site sobre os próximos lançamentos do cinema, expectativas (o ‘antes’) e realidade (‘o depois’).

image

Nesse post irei comentar minhas expectativas sobre o filme “Gone Girl” (garota exemplar, aqui no Brasil), baseado no Best Seller homônimo de Gillian Flynn, que estreia aqui nos cinemas brasileiros dia 02/10.

O filme dirigido pelo David Fincher e estrelado pelo Ben Affleck, é um suspense que envolve o desaparecimento da mulher do personagem principal e quem é o culpado por isso.

image

Nick Dunne (Ben Affleck) é um jornalista de Nova York que busca por Amy (Rosamund Pike), sua esposa, que desapareceu no dia do seu quinto aniversário de casamento. O marido procura a polícia, mas logo torna-se o principal suspeito. À medida que as revelações sobre o caso se desenrolam, fica claro que a verdade não é o forte do casal.

No elenco estão Neil Patrick Harris (Desi Collings), Tyler Perry (o advogado Tanner Bolt), Kim Dickens e Patrick Fugit (dois detetives), Carrie Coon (a irmã gêmea do personagem de Affleck) e David Clennon (o pai da “garota exemplar”), entre outros.

As expectativas são altas, tanto o público (que deu nota maior que 9 no imdb) e os críticos dos EUA, reunindo as notas no Metascore, tem 8,4.

Aposto em um filme cheio de reviravoltas, suspense para saber o que aconteceu com a mulher de Affleck no filme com um belo desfecho, assim como o Seven (D. Fincher também dirigiu).

fica a dica pra esse proximo final de semana.