CINEMA | RESENHA | MAD MAX : ESTRADA DA FÚRIA


8 / 10

MAD MAX, UMA ODE À PRODUÇÃO!

Se eu te contasse o que Mad Max passou para ser feito, você não confiaria. O quanto tempo levou,  você não imaginaria. O quanto dinheiro gastou, voce não acreditaria.

Muito antes da incrível Charlize  Theron dominar seu caminhão e cruzar o deserto pós apocalíptico como a Furiosa com o indestrutível Max Rockatansky (Tom Hardy), o filme teve uma longa jornada até brilhar e encher nossos olhos no Cinema.

mad_max_fury_road_wallpaper_1920x1080_by_sachso74-d8r49ti
A mais de 10 anos atrás, em 2003 para ser mais exato, George Miller (Diretor da trilogia clássica Mad Max), estava já recrutando o elenco e começando a pensar george-miller-happy-feet-790x552na pré-produção do 4º filme da série, já intitulado como FURY ROAD (Estrada da Fúria). Já havia a ideia para roda-lo e 2001, mas os ataques às torres gêmeas atrasou. O problema em 2003 porém foi por conta da parte financeira (gravariam na Austrália e o dólar desvalorizou por conta da guerra no Iraque), o que fez escolher gravar a animação Happy Feet (oi? sim! ele dirigiu HAPPY FEET, dos pinguins).
Alguns anos depois, e com dinheiro e cronograma para isso, George Miller conseguiu finalmente ir para o deserto australiano, porém houve mais um revés para a gravação. CHUVA, sim, onde outrora era um deserto morto, vermelho e inóspito em Outback, no centro da Austrália, virou (depois de chuvas torrenciais) um gramado FURY ROADverde, adiando as gravação para o ano de 2011. Em 2011 o elenco principal já estava escolhido, os carros prontos, todo o design, porém as gravações só começariam em 2012 (enquanto isso o Happy Feet 2 estava estreando), em outro país, outro continente, Namíbia, na África.
Com todo esses problemas, a Warner estava preocupada com a produção do filme, por conta do filme ter chegado aos US$150 milhões de dólares em seu orçamento. Finalmente no fim de 2012 terminaram as gravações do filme. ufa!
DOIS ANOS E MEIO DEPOIS DE PÓS PRODUÇÃO
Fui ao cinema e assisti ao filme, no IMAX, maior tela possível, para ser justo com o G. Miller, e imergir no filme.
Lá (no cinema), vi um filme que começou com uma cena de perseguição

Sobre as  polêmicas do  filme, feminismo e tudo mais.

  Brevemente sobre a  história,  direção,  produção  locação, roteiro e  atuação.

Finalizando como o filme mais  completo de 2015 até então.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s